Os benefícios da diversidade geracional para as organizações

Freepik

Há um dilema no cenário empresarial em relação a dificuldade na formação de equipes multifuncionais para suprir a demanda de trabalho e obter resultados, isto se deve, ao momento turbulento que o país atravessa em decorrência da pandemia, incertezas políticas, economia instável e o crescente descrédito do investidor estrageiro no país.

Sem contar o êxodo da mão-de-obra qualificada para o exterior, seduzida pela proposta de qualidade de vida, carreira internacional e salários atraentes.

Estes e outros fatores excludentes que dificultam cada vez mais a contratação e recolocação dos quadros das corporações, levaram as empresas a repensar seus modelos de negócios e a investir mais ainda em diversidade e inclusão.

Esta mudança de foco, colocou em evidência um profissional que vinha sendo descartado e rotulado, devido ao etarismo e outros “ismos” que, dificultam a recolocação no mercado de trabalho.

Evidentemente, esta analogia não tem base fundamentada nem comprovação científica estruturada, uma vez que, a avaliação e qualidade profissional não é mensurada pela idade, desta forma, o termo diversidade geracional, ganhou sustentação e vem crescendo no meio empresarial.

A definição do termo é a seguinte: diversidade geracional é o nome dado a um conjunto de pessoas de diferentes faixas etárias que convivem em um mesmo ambiente.

O assunto não é novo, e mesmo com a pauta das políticas afirmativas em alta na sociedade, este grupo e outras minorias invisíveis que compõem o universo social, tem pouco acesso a oportunidades concretas devido, muitas vezes, a análise parcial do candidato, sendo o caráter eliminatório; em muitas situações, relacionado a gênero, raça, orientação sexual, religiosa e outras denominações que os impedem em mostrar seu potencial e talento.

Felizmente, o pensamento plural vem sendo adotado no mercado e comprovadamente é um diferencial importante nos times dentro das organizações para obtenção de resultados e, sinaliza para um aproveitamento maior de séniores em todos os aspectos, gerando uma consciência coletiva diferente, devido a variedade de perfis, hábitos e vivência de mercado mais abrangente e longeva.

Alguns destaques que reforçam a certeza em investir nessa geração maturi são:

1. Exercem o trabalho com grande dedicação e responsabilidade

A vontade em continuar ativo e poder apresentar ao mercado, que os anos de vida agregaram bastante maturidade e comprometimento, quando o assunto é empenho e assertividade com objetivo em proporcionar resultados acima da média.

Além disso, acreditam que a valorização da oportunidade deve ser retribuída desta forma.

2. Possuem uma vasta experiência profissional

Com o passar do tempo, os desafios da carreira desenvolvem um conhecimento tácito raro, utilizam a comunicação fluida como um trunfo e diferencial competitivo, aliado ao fato da enorme vontade em aprender que é facilitada hoje com o grande manancial de dados e informações disponíveis no meio, o que provê a atualização constante, sendo de grande importância dentro das equipes.

3. A importância da maturidade emocional nos dias atuais

A grande resiliência que os ilustres da terceira idade demonstram para lidar com problemas complexos e para encontrar soluções viáveis, os tornam, integrantes valiosos para mudar o rumo das coisas, além disso, eles contornam obstáculos, reduzem conflitos com muita responsabilidade, habilidade, criatividade e melhoram a reputação da empresa; ajudando a transmitir uma impressão positiva e transformar a percepção da jornada dos seus clientes, que se identificam, admiram, apoiam e promovem empresas com atitudes inclusivas.

Além destas comprovações, a ciência e tecnologia tem contribuído cada vez mais para o aumento da expectativa de vida tornando o indivíduo mais resistente, saudável e melhorando a inteligência cognitiva, uma tríade indispensável quando nos referimos a uma pessoa economicamente ativa.

Por último e não menos importante, é estratégico ter um RH qualificado e possuir as ferramentas corretas para conduzir o processo de avaliação e contratação deste profissional que poderão contribuir significativamente nas empresas e desmistificar o preconceito tão latente em nossa sociedade quanto ao valor é mérito das pessoas da terceira idade.

Identificando o nível de consciência nas organizações

Freepik

Ao descrevermos o contexto histórico das formas de trabalho nas organizações, observamos que as relações de gestão e, principalmente o comportamento e visão das pessoas dentro delas mudou bastante, referindo-se aos modelos hierárquicos que impactam decisivamente a tomada de decisão e os resultados nas empresas.

No decorrer de décadas de estudo e experimentações, novos métodos surgiram e foram adotados e aplicados pela alta gestão no intuito de maximizar os resultados mas, à medida que o tempo passava e os mercados se integravam cada vez mais, era necessário repensar toda a cadeia produtiva.

Os inúmeros experimentos de desenvolvimento em escolas do pensamento estratégico horizontais, em suas épocas, moldaram cenários, que qualificaram os modelos organizacionais que funcionavam bem para aquela situação específica, mas, comparando as empresas exponenciais atuais, podemos avaliar que muita coisa mudou evidentemente.

Os grupos sociais do pensamento subjetivo, mesmo sem organização lógica da otimização das tarefas e matriz hierárquica, onde tudo se originou, tiveram sua importância histórica desde o começo da civilização, até chegarmos a escola do pensamento científico e, a sociedade contemporânea que se notabiliza pelo avanço científico e tecnológico.

Atualmente, os estágios de desenvolvimento organizacional e suas fases de aplicação e valores definidos, tem evoluído para um modelo onde a participação das pessoas em todo o processo é crucial para o êxito dos negócios.

Mesmo assim, ainda existem empresas que adotam modelos considerados defasados nos moldes atuais, contudo, elas ainda obtêm resultados representativos que mantêm sua continuidade.

Não há nada inerentemente “melhor” em estar num nível mais alto de desenvolvimento, da mesma forma que um adolescente não é “melhor” do que uma criança pequena. Entretanto, a verdade é que um adolescente pode fazer mais porque ele ou ela podem pensar de forma mais sofisticada do que uma criança pequena. Qualquer nível de desenvolvimento está bom; a questão é se esse nível de desenvolvimento está adequado à tarefa que temos nas mãos.

Nick Petrie

Citação extraída do livro Reinventando as Organizações de Frederic Laloux

Nota-se um distanciamento no que é praticado hoje no mercado, comparando-se aos métodos evolutivos e de autogestão com o cliente e as pessoas no centro.

Estes estágios presentes em cada empresa e vigente do ponto de vista social, torna imperativo uma adaptação e desenvolvimento das Softs Skills onde, o cenário ideal é o pensamento evolutivo.

Inclusive, é a minha concepção mais eficaz para uma organização adotar em face do uso da tecnologia e seus benefícios bem como, as constantes alterações da gestão do trabalho, a participação cada vez mais estratégica das pessoas no processo decisório e sua ampliação geográfica.

Apesar da visão racional e comportamental do propósito do indivíduo como agente decisor, boa parte das organizações, aplicam a gestão pluralista, o que pode ser conceituado como um modelo em transformação, sendo mais aceitável do que os modelos anteriores.

O que demonstra claramente, fazendo uma analogia a teoria da evolução das espécies, que a mudança e adaptação são imperativas, ainda mais se aplicarmos as características da transformação digital na alteração estrutural nas organizações.

Este movimento que busca estabelecer novos caminhos dentro das organizações, tem propensão a conceituar um novo marco para criar soluções mais aprimoradas para seus consumidores, assim, devem ser aplicadas incessantemente, contudo, de maneira escalonada onde a revisão sistemática dos processos deve conter bastante esmero desta forma, é possível contribuir e construir um ambiente empresarial mais isonômico.

Meus ativos e limites pessoais

Freepik

A vida de uma pessoa ao longo da sua trajetória, encerra diversas passagens interessantes, dependendo das atividades realizadas, seja na vida corporativa, empreendedora ou mesmo uma atividade altruísta.

Sempre iremos nos ocupar e desenvolver habilidades congruentes com nossos interesses e afinidades que naquele estágio da vida, nos pareceu mais indicado e que foi, fruto de nossas escolhas.

Em minha trajetória, desempenhei diversos papéis em setores administrativos, operacionais e tecnológicos, sempre buscando o aprendizado, inerente às atividades e a evolução na carreira.

Ao atingirmos certo grau de maturidade na carreira, já com uma idade fora dos padrões aceitáveis do mercado, os rótulos inevitáveis, começam a fazer parte do dia a dia profissional, onde o paradigma da progressão natural do trabalho começa a dificultar sua ascensão, isto é comum e carece de uma explicação convincente, infelizmente; já que nesta fase o profissional encontra-se em plena capacidade de produção cognitiva e tem muita vivência para compartilhar e agregar.

Atualmente, analisando e acompanhando meu desempenho, observo que a mesma energia, interesse, agilidade no aprendizado e sua aplicação prática com foco em resultado, estão bem explícitas em minhas ações de forma pujante e constante.

Essa constatação está longe de ter uma conotação narcisista, pois, temos a tendência de sermos tolerantes e pouco críticos em nossas auto-análise, contudo, os depoimentos dos pares e superiores diretos e mesmo aquelas pessoas que conviveram esporadicamente já observaram essas características bem como, os pontos de melhora e deficiências.

A teoria das inteligências múltiplas presentes no meu perfil, as quais identifiquei e procuro aprimorá-las, são evidências que estou no caminho certo, a mesma coisa relativa os projetos que participei que deram resultado e os que não deram resultado mas, contribuíram para moldar uma mentalidade mais robusta e experimentada para o atingimento dos objetivos e da manutenção profissional para atingir a excelência.

Os limites impostos com a passagem do tempo pouco me afetaram durante a minha jornada de vida uma vez que, em todo esse tempo, procurei manter uma saúde mental inabalável para continuar ativo e produtivo, melhorando a cada dia como ser social.

Quanto ao ciclo de vida profissional, ainda se referindo a implacável ação do tempo, podem ser exercidas sem problemas e de maneira contínua porque, tenho uma vida regrada, prática habitual de exercícios físicos, herança da vida de atleta, dieta natural equilibrada sem excessos e sem vícios degenerativos o que me qualificará a ter um desempenho muito acima da média daqui em diante, durante anos de vida ativa.

Estou pronto e apto para as mudanças inexoráveis que ocorrerem porque, esta é a postura que devemos ter para atender as demandas do mercado e da vida, com flexibilidade e humildade para praticar a escuta ativa, refletir, colaborar e buscar as respostas.

Soft Skills e o mercado de trabalho

Freepik

A importância das habilidades comportamentais é uma realidade e uma exigência consolidada nos processos de recrutamento e seleção, mas, encontrar o perfil de candidato ideal, continua sendo uma tarefa intrincada porque, o mercado de trabalho sofre alterações a todo o instante, portanto, é necessário conceder um tempo para a adequação do profissional

Isto pode ser atribuído aos avanços tecnológicos e a crescente exigência do padrão profissional do indivíduo, para se adequar às demandas do cenário global dos negócios.

A habilidade mais proeminente está relacionada às Soft Skills que são um conjunto de características comportamentais observadas nas pessoas, muito valorizadas nas empresas.

E o colaborador que consegue performar em mais de uma habilidade, tem grande relevância e destaque nos times que participa.

As Soft Skills estão relacionadas com a teoria das inteligências múltiplas de Howard Gardner, um estudo que mapeou e definiu estas características no ser humano.

Durante minha trajetória profissional, desenvolvi algumas que já eram inatas e aperfeiçoei outras em ambientes e épocas distintas da atual, no qual, em alguns episódios, utilizei as referidas inteligências isoladamente ou em conjunto num determinado momento ou projeto que eu estava inserido.

Elas todas contribuíram decisivamente para ter uma compreensão mais clara do meu momento como profissional atualmente. 

Das inteligências múltiplas elencadas possuo as seguintes: verbo-linguística, interpessoal, intrapessoal, corporal-cinestésica e musical.

Analisando a minha jornada até aqui e o que vem pela frente em relação a tecnologias disruptivas e emergentes, temos que aprender a reaprender constantemente para que possamos continuar atuantes e valorizados no mercado, seja empreendendo ou trabalhando em alguma corporação.

Eu procuro me atualizar constantemente nas minhas áreas de atuação; tecnologia, gestão e CS e outras tendências do mercado, a transformação digital, tem reforçado esta constatação, sobretudo, a longevidade do ser que está intimamente relacionada ao life long learning.

Acredito que este seja o ponto de destaque para uma carreira plena com mais qualidade de vida e relevância profissional.