Dia 12: O esplendor do pôr do sol em versos despretensiosos

Pixabay

Contemplar a beleza das jóias da natureza
É controverso como as suas incertezas
Sim, poderíamos aceitar, apenas nos resignar
Mas, por outro lado prefiro lutar e depois deleitar

As vezes me recordo das datas porque isso vale a pena
Em outras ocasiões, preocupo-me apenas em apreciar a cena
E nestes cenários que a vida expõe, tenho um em especial
Aquele que me arrebata o coração onde contemplo seu visual
Estou falando do belo e único pôr do sol sendo ou não casual

Sozinho ou bem acompanhado serei sempre feliz por isso
Seja numa escarpa escaldante ou sentado sobre a areia brilhante
Apenas peço para que estes momentos não sejam efêmeros
Que os sons que compõem a ária façam-me ter um compromisso

O tempo em qualquer tempo que replique este espetáculo diário
Mantenha-me alerta e focado para não perder um só momento
Nessas horas é preciso sabedoria para entender a perfeição
E bastante iluminação para poder reverenciar esta criação

Ó Deus em sua infinita sapiência fez da natureza uma dádiva
Queria eu poder saber um pouco de tudo apesar da minha sofreguidão
Os dias atuais tão estressantes, contrastam com a beleza diletante
Mas, cultivar a temperança pode ser um sinal de perspectiva

Bendito pôr do sol que me fez cortejar a infinita graça das coisas da vida
Quando me deparo com você adentrando o horizonte num show degradê
Sei que valeu a pena e amanhã quero crer que saudarei tudo outra vez
Somente quem se permite sonhar, se permite ousar, alguém duvida?

Valeu Matheus de Souza pela provocação do desafio 21 dias de escrita!!!
#DesafioDoMatheus #escritacriativa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s